Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

Seguro Residencial: O que é? Vale a pena?

30 de agosto de 2021

6 minutos de leitura

por Lendico

Seguro Residencial

Falar sobre seguro residencial não é tão comum quanto seguro de carros, por exemplo. Entretanto, esta é uma modalidade que vem crescendo ao longo dos anos. Quando pensamos em nossos patrimônios, entendemos que todos são conquistados com muito esforço e, pensando nisso, é muito importante protegê-los (principalmente quando pensamos em um imóvel, que tem um alto valor). 

Apesar de muitos se limitarem apenas ao seguro incêndio quando o assunto é o que é seguro residencial, precisamos lembrar que este cobre uma série de imprevistos (desde vendavais até danos elétricos). Vamos falar um pouco mais sobre isso? 

O que cobre um seguro residencial?

Existem diversas coberturas possíveis no seguro residencial, entretanto, podemos destacar algumas que são principais e mais solicitadas no mercado:

Incêndio, explosão e fumaça

A chamada “cobertura básica” cobre seu imóvel e bens de prejuízos causados por incêndios ou explosões que começarem dentro da sua casa ou, dependendo da situação, fora dela. Este é de contratação obrigatória em qualquer seguro residencial que você for fechar. 

Se na sua cozinha acontece de explodir um botijão de gás ou iniciar um acidente com fogo, diversos elementos da casa ficariam comprometidos. Com o seguro incêndio, se você comprovar os prejuízos, a seguradora ficará responsável pela indenização dos valores para recuperação dos itens. 

Danos elétricos

Se você nunca passou por algum acidente assim, saiba que é um(a) sortudo(a). Segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o Brasil é o país com maior número de raios em todo o mundo. Os prejuízos estimados causados por esse fenômeno em território brasileiro ultrapassam cerca de R$ 1 bilhão por ano. 

Por isso, os problemas que eles causam à rede elétrica (incluindo aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos) devem ser levados em conta. A cobertura de danos elétricos foi pensada justamente para assegurar o contratante dos danos aos equipamentos e instalações. 

Roubo ou furto de bens 

Infelizmente, não estamos livres de pessoas mal intencionadas. Por isso, a cobertura para subtração de bens oferece um amparo em caso de roubo ou furto à sua casa. Os danos causados por invasões também são cobertos. 

Perda ou pagamento de aluguel 

Apesar de não ser uma cobertura tão conhecida pelas pessoas, ela é muito útil. Caso o imóvel sofra um sinistro e os moradores precisem desocupar o local provisoriamente, a cobertura se aplica perfeitamente. Outra situação é caso o seu imóvel fique interditado: a seguradora pagará o aluguel de outro lugar para você ficar até que tudo se normalize. 

Vendaval, ciclone, furacão, tornado e granizo 

Nem todos estes acidentes climáticos são comuns no Brasil mas, para aqueles que acontecem, podem causar sérias complicações ao imóvel. Em determinados períodos do ano e regiões, os riscos se intensificam ainda mais. Esta cobertura é funcional caso aconteçam danos ao seu imóvel e bens que estão dentro do seu lar. 

Além destas coberturas, também podemos citar: 

  • Responsabilidade civil familiar – danos a terceiros;
  • Negócios em casa;
  • Quebra de vidros;
  • Vazamento de tubulações;
  • Roubo ou furto de bicicleta. 

Seguro residencial é só para imóvel próprio?

O seguro residencial não é apenas para imóvel próprio. Se você é locatário de uma casa ou apartamento, também tem o direito de fechar este tipo de seguro. Entretanto, vale ressaltar que a Lei do Inquilinato dispõe que será de responsabilidade do locador o pagamento do seguro contra incêndios (salvo quando o contrário está expresso em contrato). 

Quem será o segurado da apólice em caso de imóvel alugado? 

Na teoria, o segurado é aquele cujo nome, CPF e outros dados pessoais constam na apólice do seguro e com o qual a seguradora se responsabiliza de indenizar caso ocorram sinistros. Caso existam coberturas que se referem apenas aos ocupantes do imóvel, o inquilino é quem deverá ser considerado como segurado. 

Seguro residencial: valor

Se você se pergunta quanto custa um seguro residencial, saiba que não existe uma resposta padrão. Isso porque o valor do seguro residencial vai depender de diversos fatores como, por exemplo, a região onde a pessoa mora e quais coberturas solicitou para o seu plano. 

Por exemplo, se você solicitar uma cobertura para vendaval, é muito comum que seu seguro fique mais caro caso more no sul de Minas Gerais, já que existe maior risco disso acontecer. Um seguro contra roubo no Rio de Janeiro também vai sair um pouco mais caro do que em uma região em que os índices de roubo são menores. 

Qual a diferença de um seguro condominial e seguro residencial  

Vamos imaginar que você acabou de se mudar para um apartamento e descobre que o prédio tem seguro condomínio. Neste sentido, vale a pena contratar um seguro residencial? Sim! Isso porque os dois não são a mesma coisa: 

Seguro condominal

Segundo o Código Civil Brasileiro, o seguro de condomínio é obrigatório para prédios comerciais, residenciais e mistos. Essa responsabilidade é do síndico que, por sua vez, pode ser penalizado de várias maneiras caso não respeite a legislação. Este tipo de seguro protege as áreas comuns, como portaria, salão de festas, academia, brinquedoteca etc. 

Seguro residencial 

Diferente do condominal, o seguro para residências não é obrigatório, ou seja, você só contrata caso queira proteger tudo que está dentro do seu imóvel, tanto em relação à estrutura quanto aos bens. 

O que fazer em caso de sinistro? 

Caso ocorra algum evento que cause dano, prejuízo ou perda no seu imóvel sobre o que foi contratado, você deve avisar imediatamente a seguradora. Além disso, é necessário informá-la sobre qualquer modificação realizada pelo morador após a ocorrência. 

Como funciona a indenização do seguro residencial? 

A indenização do seguro residencial pode ser feita por meio da reparação dos danos, reposição do bem ou em dinheiro. Depois que você avisar a central de sinistros, a seguradora avalia o ocorrido e solicita a sua documentação. A indenização é paga, em média, 30 dias após a entrega de toda a documentação. 

Vale a pena contratar um seguro residencial?

O seguro residencial é uma das modalidades de proteção que oferece o melhor custo-benefício no mercado. A sua importância, já que um imóvel normalmente é o bem mais precioso de uma pessoa, faz com que levemos ainda mais em consideração a sua contratação. Apesar disso, o produto está longe de ser um dos mais conhecidos pela população. 

Contudo, se você tem condições, um bom seguro residencial te protege de muitas dores de cabeças e gastos com imprevistos. A ideia é justamente você ter uma proteção contra acidentes com um pagamento mensal pequeno e evitar um grande prejuízo quando algo acontecer. 

Agora que você já sabe o que é um seguro residencial, cabe a você decidir se vale a pena ou não contratá-lo. Mas, por fim, se ainda restou dúvidas, deixe o seu comentário para nós.

Além disso, continue navegando pelo nosso blog para conhecer ainda mais sobre finanças e empréstimo!

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *