Atenção! Nós não solicitamos depósito antecipado. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

Prestação atrasada: cresce número de devedores em financiamentos de casa

29 de novembro de 2016

2 minutos de leitura

por Lendico

A fatia de devedores que têm prestação atrasada no financiamento imobiliário triplicou no último ano. O que era o sonho da casa própria está se tornando um pesadelo para os brasileiros que não estão conseguindo pagar as parcelas por conta da crise.

O financiamento imobiliário foi a modalidade de dívida com pagamento atrasado que mais cresceu entre oito tipos de linhas de crédito que foram pesquisadas pelo Instituo Geoc. O instituto reúne 16 empresas de cobrança que buscam resolver mensalmente dívidas de 30 milhões de brasileiros que têm prestações em atraso.

Prestação atrasada

Em 2016, 15,2% dos brasileiros declararam que estão com prestações do imóvel atrasadas há mais de 30 dias segundo o levantamento. Em 2015 este número era de 5,6%, o que já representava mais do que o registrado em 2014 (4,2%).

Segundo especialistas, não é uma surpresa este crescimento. Com o aumento da crise financeira no país e do desemprego, muitas pessoas foram ficando endividadas e sem fonte de renda para honrar com as prestações do financiamento do imóvel.

Uma prova disso é que a classe C foi uma das que mais apresentou problemas quando ao atraso de prestações. E com a perspectiva de aumento do desemprego no Brasil, acredita-se que aumente o número de inadimplentes quando o assunto é prestação atrasada da casa própria.

O que acontece se eu tiver uma prestação atrasada?

Quando o tomador de crédito de um financiamento imobiliário atrasa uma prestação ele pagará juros por isso, conforme o contrato estabelecido. Contudo, hoje em dia, quando há mais de três prestações atrasadas, já é possível que a financiadora coloque o imóvel em leilão.

Como regularizar a situação?

Uma das opções para regularizar a situação de inadimplência é buscar o banco ou financeira e pedir uma renegociação da dívida. Existem opções como o Feirão Limpa Nome que ajudam neste processo.

Outra opção é tentar empurrar algumas dívidas até que consiga se estabilizar. Mas é importante ter muito cuidado com isso, para não fazer com que vire uma bola de neve.

Pedir um empréstimo para pagar um financiamento, por exemplo, pode parecer uma boa ideia em um primeiro momento, porque as taxas poderão, em alguns casos, ser menores. Contudo, se você ainda tem prestações do imóvel para pagar e não está conseguindo honrá-las, precisa calcular se conseguirá pagar a prestação do financiamento + a prestação do novo crédito.

Tome muito cuidado para que o crédito seja utilizado de maneira inteligente e não faça com que você tenha mais problemas financeiros. Lembre-se que ficar inadimplente em duas linhas de crédito poderá fazer com que o valor que você deve cresça de forma muito rápida.

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *