Atenção! Nós não solicitamos depósito antecipado. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

10 lições de finanças pessoais que aprendemos com nossos pais

22 de novembro de 2017

4 minutos de leitura

por Lendico

Hoje separamos algumas lições financeiras que nossos funcionários ou conhecidos compartilharam sobre lições de finanças pessoais que eles aprenderam com seus pais ou familiares. Será que você acrescentaria mais alguma?

Lições de finanças pessoais

Vamos agora às 10 lições de finanças pessoais aprendidas com os pais:

1. Querer não é poder e é diferente de precisar

Quantas vezes você pediu um brinquedo ou algo que estava na moda e seus pais disseram não? Pois se hoje é você quem tem filhos pode entender perfeitamente os motivos de seu pai ou sua mãe, não é mesmo? Afinal, não é porque você quer muito algo que você tem condições para comprar. E claro, não dá para começar uma dívida apenas para ter satisfação pessoal. É preciso ser racional com as compras.

2. Em uma casa, todos precisam estar cientes da situação financeira familiar

Falar sobre a situação financeira familiar com o parceiro ou parceira e com os filhos ajuda com que todos entendam as escolhas que são feitas. Muitos pais falam para seus filhos quando um mês está mais difícil e isso ajuda com que entendam se um plano precisar ser cancelado.

3. É preciso ter prioridades

Você queria dois brinquedos, mas seus pais disseram que só poderia ter um. Eis aí uma grande lição de que é preciso ter prioridades, afinal, não é sempre que se pode ter tudo.

4. Tenha reserva para desastres

“Minha mãe sempre disse que eu deveria guardar pelo menos 20% do dinheiro que tinha para possíveis desastres no meu caminho”. Essa lição com certeza é bastante importante, já que ter uma reserva para imprevistos pode lhe salvar de ficar inadimplente. E mais, vale dizer que se não gastou a porcentagem “para desastres” deste mês, o melhor é guardá-la para projetos futuros.

5. Não importa quão pouco é o que você está guardando hoje, isso pode lhe ajudar amanhã

Hoje você guarda R$10, mas amanhã só tem R$ 5. Não faz diferença. O importante é que você crie o hábito de poupar e montar um fundo para projetos de curto, médio e longo prazo. É isso que lhe permitirá realizar seus sonhos sem se endividar.

6. Nunca empreste seu nome

Emprestar o nome, mesmo para familiares, pode causar uma dor de cabeça grande. Se a pessoa não quitar a dívida em questão, seu nome pode ser negativado e isso gerará diversos problemas. O melhor é sempre tentar ajudar de outras formas, como auxiliando a pessoa a planejar suas finanças para assim quitar suas dívidas.

7. Viva apenas o padrão de vida que sua renda permite

É claro que viajar todo ano para um determinado lugar pode ser seu sonho, mas faça apenas aquilo que está dentro de sua realidade financeira. Isso evita que acabe se endividando e fique sem condições de arcar com suas contas.

8. Você não é rico pelo que ganha, mas pelo que guarda

É bastante comum que os pais ensinem seus filhos sobre a importância de poupar. E mais, quanto maiores são suas reservas, maiores são suas chances de, por exemplo, barganhar e fazer o melhor negócio. Não é por acaso que existam pais que ainda digam que “você não é rico pelo que ganha, mas pelo que guarda”.

9. Você não é o seu salário e nem o que compra

O que define quem você é não é quanto você ganha, quanto você consegue comprar, ou o que tem. O seu valor tem que estar relacionado à sua moral, sua ética e seus princípios. Não faça com que sua vida seja vivida apenas de aparências. Se preocupe com a sua essência e aquilo que pelo que será lembrado depois.

As pessoas não lembraram de vocês pelo número de coisas que comprou, mas pelas ações que teve ao longo de sua vida.

10. Saiba quanto as coisas custam

Se você conhece o preço das coisas, fica mais fácil aproveitar promoções, fazer escolhas e definir onde vai comprar ou deixar de comprar um determinado produto. Ao ir com seus pais ao supermercado, eles costumavam dizer que algo estava barato ou que estava caro, não é mesmo? E sim, isso determinava a decisão de compra. Pois bem, para poder aproveitar isto a favor de suas finanças, é importante que você conheça o preço das coisas.

Procure saber quanto custa os produtos que mais consome e também os serviços. Saiba também quais são as taxas que você paga e quais os juros aplicados quando deixa um débito em atraso.

E você, que outras lições de finanças pessoais aprendeu com seus pais? Conte para nós nos comentários.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *