Atenção! Nós não solicitamos depósito antecipado. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

Juro do cartão: dívida de R$ 1 mil pode virar R$ 1 milhão em 4 anos

26 de outubro de 2016

2 minutos de leitura

por Lendico

A taxa de juros do cartão e do cheque especial têm subido mês a mês. No caso do juro do cartão, a taxa se aproxima de 500% ao ano em setembro. Mais precisamente são 480,3% no nono mês do ano, ante 475% em agosto, segundo dados do Banco Central (BC) divulgados hoje.

O juro rotativo do cartão é o crédito tomado pelo consumidor quando ele opta por pagar um valor menor do que a fatura integral de seu cartão. Hoje, se um indivíduo tiver R$ 1 mil em dívida do rotativo, aplicando os juros compostos, em quatro anos terá que pagar um valor superior a R$ 1 milhão. Para sermos mais exatos, a dívida aproximada seria de R$ 1.133.992,76.

Juro do cartão

Se agora uma dívida de R$ 1 mil vira R$ 1 milhão em 4 anos, saiba que há poucos meses a situação estava bastante diferente. Segundo um levantamento feito pelo portal Exame.com em julho deste ano, para sua dívida virar R$ 1 milhão em 3,91 anos, era necessário dever R$ 3.442,29 (valor médio de dívida do brasileiro, segundo o SPC) no rotativo do cartão. Na época a taxa de juro do rotativo era de 339,4% ao ano/13,12% ao mês.

Na mesma época, o valor de R$ 3.442,29 se transformava em 1 milhão pelos juros do cheque especial em um período de 4,08 anos. Já na poupança, para que o mesmo valor virasse R$ 1 milhão, eram necessários 70,91 anos, considerando que a taxa média de juros ao ano era de 8,36%.

Outras taxas de juros

A taxa média das compras parceladas com juros, do parcelamento da fatura do cartão de crédito e dos saques parcelados, teve alta de 2,5 pontos percentuais e ficou em 154,7% ao ano.

Já o juro do cheque especial também continua subindo, de acordo com os dados do BC. A alta foi de 3,8 pontos percentuais, de agosto para setembro, quando chegou a 324,9% ao ano. Este é um novo recorde da série histórica do BC, que começou a ser registrada em julho de 1994.

Opções

O crédito pessoal pode ser uma opção para quem percebeu que não conseguirá pagar a fatura total do cartão de crédito e que não quer ficar com uma grande dívida. Na Lendico, por exemplo, o CET varia entre 48,44% e 97,88% ao ano, valor bem diferente do rotativo do cartão.

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *