Atenção! Nós não solicitamos depósito antecipado. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

Como pagar o INSS como autônomo? Confira passo a passo

03 de julho de 2020

7 minutos de leitura

por Lendico

Se você é alguém que trabalha por conta própria, já é considerado(a) autônomo(a). Assim como na categoria CLT, existem alguns pagamentos que também são realizados pelos profissionais dessa categoria e podem gerar muitas dúvidas, por exemplo: como pagar o INSS como autônomo? Vamos explicar tudo neste post! 

Como pagar INSS como autônomo? 

Antes de saber como pagar o INSS, é importante entender o motivo da contribuição. Justo, né?! O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é um órgão do Ministério da Previdência Social, responsável pelos pagamentos das aposentadorias e outros benefícios dos trabalhadores brasileiros que contribuem com a mesma (exceto servidores públicos). Resumindo, as vantagens de contribuir com o INSS são: 

  • Garantir que irá receber um benefício mensal durante a aposentadoria;
  • Em caso de afastamento do serviço por motivo de saúde, o trabalhador que contribui para a Previdência pode receber o auxílio-doença. 

O que mais a previdência social garante? 

  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Aposentadoria por idade ou invalidez;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio-doença;
  • Pensão por morte;
  • Salário maternidade;
  • Salário família;
  • 13º salário;
  • Reabilitação profissional;

Para começar a contribuir com o INSS é bem simples: 

1 – Faça parte do PIS (Programa de Integração Social)

Se você já trabalhou com carteira assinada, provavelmente já tem um PIS. Caso contrário, é se inscrever pela internet. Depois de acessar o site do INSS você precisa:

  • Clicar em Inscrever-se (filiado);
  • Preencher o formulário com o seu CPF, Unidade Orgânica e Senha;
  • Ao final, anotar o número do PIS/PASEP. 

Na hora do cadastro, é importante ter alguns documentos em mãos: 

  • Documento de identidade (RG);
  • Data de nascimento;
  • CPF;
  • Nome completo da mãe.
  • Seu nome completo. 

2 – Escolha o tipo de contribuição

Neste momento você deve escolher a opção de contribuinte individual. A modalidade engloba todas as pessoas que trabalham por conta própria (autônomos) e trabalhadores que prestam serviços eventuais à empresas, sem vínculo empregatício. 

3 – Preencha a Guia da Previdência Social (GPS)

Para preencher o carnê online, é preciso entrar no site da Receita Federal (SAL) e escolher uma das opções sugeridas (leve em consideração a data em que você se cadastrou no PIS) : 

  • Contribuintes filiados à Previdência Social antes de 29/11/1999
  • Contribuintes filiados à Previdência Social a partir de 29/11/1999

. Logo após, é preciso indicar que tipo de contribuinte você. Lembre-se de informar o número de registro no INSS. Com essa ação, os seus dados aparecem na tela. Antes de continuar, é preciso confirmar se as informações estão corretas para então começar a preencher a guia.  

No espaço competência, é preciso informar o mês referente à contribuição atual. No campo salário de contribuição, coloque a sua renda (o valor da contribuição é calculado com base nessa quantia). Por fim, informe o seu tipo de contribuição e data de pagamento do carnê

4 – Pague o boleto em um banco ou lotérica

Imprima a guia e pague em um banco ou lotérica. Vale lembrar que o preenchimento pela internet é mais seguro do que o manual, já que as chances de erro são menores. Não existe uma data específica para o pagamento da guia, mas o limite é o dia 15 do mês seguinte. Caso perca a data, sofrerá uma cobrança de juros e multas (podem chegar a 20% do valor devido). Se atrasar, é possível atualizar o valor pelo mesmo site que emitiu o boleto. 

Quais são os tipos de contribuintes que estão sendo autônomos?

Existem duas opções para realizar o pagamento do INSS como autônomo (o que as difere são os valores e benefícios):

Código 1007 – o valor cobrado chega a 20% do salário mensal, sendo o teto de R$ 5.839,45. Se você ganha mais do que isso, é indicado continuar pagando somente 20% desse valor (atualizado em 2019);

Código 1163 – Nesse caso o valor pago é de até 11% de um salário mínimo, que resulta em uma parcela média de R$ 105. Neste caso, ao se aposentar, o contribuinte terá direito a um salário mínimo. 

A escolha da melhor opção para você vai depender do quanto está disposto a pagar pelo INSS. 

Como efetivar o pagamento?

Para pagar o boleto, é preciso acessar o site todos os meses para imprimir o documento e realizar a quitação do mesmo. 

Como comprovar atividade no INSS para autônomo? 

  1. Comprovante de prestação de serviço, desde que compreenda o período em que você deseja o reconhecimento da atividade;
  2. Contratos de empréstimos da época. Podem conter profissão no contrato ou ter um documento para comprovar renda para a obtenção do empréstimo naquela época;
  3. Inscrição da profissão na prefeitura. Vale para taxistas, pipoqueiros, camelôs e motoboys, que precisam regularizar a atividade no governo de cada município;
  4. Prontuário de internação hospitalar. Desde que contenha a informação da profissão na ficha e seja referente ao período em que trabalhou como autônomo(a);
  5. Certidão de nascimento dos filhos, desde que conste a atividade (caso não tenha, é possível ir até o cartório onde a certidão estará completa);
  6. Ocorrência de acidente de trânsito (neste caso, é preciso fazer o boletim de ocorrência e informar a profissão);
  7. Fotografia na atividade, seja pessoal ou profissional, desde que conste a data;
  8. Anotações do trabalhador em documento da empresa na qual prestou serviço, desde que haja registro na junta comercial.

Quais alternativas de aposentadoria para autônomo?

Para planejar uma aposentadoria, é muito importante pensar em alguns pontos como: quando você quer se aposentar, quanto você precisaria para viver por mês (conte despesas fixas, moradia, alimentação, lazer e convênio de saúde), quais gastos variáveis podem surgir (viagens, compra de bens, troca de carro etc), quantas pessoas dependerão da sua aposentadoria, quais serão as fontes de renda? Após isso:

Calcule o quanto precisa guardar por mês – calcule quantos anos você tem até se aposentar e quanto precisa juntar por mês para sobreviver. Lembre-se de que, dependendo de onde você colocar, o dinheiro pode render de maneiras diferentes. 

Escolha o melhor método para investir – após calcular o quanto precisa, é hora de decidir onde investir o seu dinheiro para que os juros trabalhem por você. Veja as opções:

Previdência privada – para quem deseja investir na própria aposentadoria, a previdência privada vem logo de primeira no pensamento (na maioria dos casos). Vale ressaltar que é possível escolher entre dois tipos de previdência: PGBL e VGBL (a principal diferença entre os dois, é a forma de tributação). Além disso, a modalidade permite sacar o montante de uma só vez ou transformá-lo em renda mensal quando desejar receber o dinheiro. 

  • Renda fixa – para quem é mais conservador e prefere entender quanto o dinheiro irá render, essa é uma boa opção. Alguns dos mais conhecidos são Tesouro Direto, CDBs e as LCAs. Essa modalidade permite dois tipos de investimentos: 
  • Prefixados: é possível saber qual o retorno ao final da aplicação. Por exemplo, 6% ao ano;
  • Pós fixados: este é quando o rendimento é atrelado a algum outro índice de economia. Exemplo: o CDI rende 100% (taxa comum usada nos bancos). Com isso, o investidor sabe que o dinheiro vai render conforme o indicador específico – mas não exatamente o quanto, já que pode haver flutuações. 

Renda variável – como o próprio nome já deixa claro, os investimentos possuem taxas de retorno que podem variar de acordo com alguns fatores – mudanças econômicas/políticas, por exemplo. Por conta dos riscos serem maiores, os retornos também são grandes. 

Autônomo também pode fazer empréstimo consignado pelo INSS? 

Autônomos não podem fazer empréstimo consignado, isso porque este tipo de empréstimo é voltado apenas para alguns grupos específicos: 

  • Aposentados e Pensionistas do INSS;
  • Trabalhadores com carteira assinada;
  • Servidores Públicos Federais (SIAPE), Estaduais e Federais;
  • Militares das Forças Armadas. 

Para liberação do empréstimo consignado, é preciso demonstração de renda fixa para comprovar que o solicitante tem recursos financeiros suficientes para arcar com o compromisso do empréstimo. 

Qual a alternativa de empréstimo para autônomos?

A Lendico oferece empréstimo para autônomo, já que ao contratar um crédito especial conosco, você pode usá-lo da maneira que bem entender. O melhor de tudo é que você pode realizar uma simulação a qualquer hora e lugar, sem sair de casa, por meio do nosso processo 100% online! 

Ficou com alguma dúvida? Comente para nós. 

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *