Atenção! Nós não solicitamos depósito antecipado. Isso é crime.

Atenção! A Lendico Brasil não solicita depósito antecipado para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Faça sua análise

Cai número de famílias endividadas no Brasil

02 de fevereiro de 2017

3 minutos de leitura

por Lendico

Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços  e Turismo (CNC), os consumidores brasileiros começaram o ano de 2017 menos endividados. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 55,6% das famílias contavam com algum tipo de dívida em janeiro deste ano, antes 54% em 2016.

Esta pesquisa leva em consideração as dívidas a pagar de cartão de crédito, cheque pré-datado, carnê de loja, prestação de carro, empréstimo pessoal e seguros. Em janeiro deste ano, o percentual destes endividados era de 56,6%. Em janeiro de 2016 eram 61,6%.

Endividamento

O recebimento do décimo terceiro salário pode ser um dos fatores que influenciam a redução do endividamento das famílias, pois permite a quitação de diversas dívidas. Contudo, ainda há grandes preocupações a se ter a este respeito.

O percentual de famílias que acreditam que não conseguirão quitar suas dívidas e que por isso permaneceram inadimplentes subiu. Em dezembro eram 8,7 e em janeiro são 9,3%. Em janeiro de 2016 eram 9%.

Cartão de crédito

O grande vilão do orçamento familiar continua sendo o cartão de crédito, isso porque esta é a principal dívida para 77,3% dos que estão com contas para pagar. Em segundo lugar estão os carnês (14,1%) e o financiamento de carro (10,1%).

Vale lembrar que as dívidas do cartão de crédito podem virar uma grande dor de cabeça a médio e longo prazo. Enquanto não começa a valer a medida do governo que limita o rotativo do cartão, quem entra neste tipo de empréstimo paga juros de em média 500% ao ano.

Cuidados com as dívidas

Separamos algumas dicas para quem está endividado. São sugestões simples que ajudam que a quitação destes valores seja feita de maneira mais fácil e pagando menos juros.

  • Sempre compare juros de tipos de crédito: cartão de crédito ou cheque especial? Ambos têm taxas de juros exorbitantes, por exemplo, mas se tiver que realmente escolher entre eles, faça as contas de qual tem taxas de juros mais baixas. Além disso, lembre-se que não são juros simples e que quanto mais demora pra quitar esta dívida, maior ela fica.
  • Você não precisa usar apenas os empréstimos com contratação automática: você não precisa se limitar ao cheque especial e aos juros do rotativo do cartão de crédito. Fazer um empréstimo pessoal, consignado ou não, vai lhe trazer muitas vantagens financeiras, pois os juros tendem a ser muito menores.
  • Não deixe a dívida rolando: está no meio do mês e já percebeu que não terá como pagar a dívida com o cartão de crédito no mês seguinte? Pois corra. Lembre-se que é melhor se antecipar e já pegar um crédito pessoal com juros mais baixos para quitar o valor parceladamente do que pagar altos juros no rotativo.
  • Há dívidas que não podem ser atrasadas: a primeira parcela do seguro do carro vence no próximo mês e não terá como pagar? Cuidado, pois atrasar este tipo de parcela pode fazer com que seu seguro seja cancelado. Fique sempre atento aos contratos que assina e saiba quais as consequências de atraso de pagamentos.
  • Planeje-se: parece uma dica velha, mas você sabe quanto do seu orçamento está disponível caso queira comprar algo hoje? Ter em mente este tipo de resposta é bastante importante, mesmo que seja apenas uma estimativa e não um valor exato. Com isso em mente você pode inclusive saber quando aproveitar aquela promoção que tanto estava esperando, por exemplo, sem que a compra vire um problemão no cartão de crédito.
  • Suas contas fixas não podem ser maiores que sua renda: aluguel, seguro, plano de saúde, escola, luz, água, gás, etc. Some tudo e veja quanto em média você costuma gastar no cartão de crédito. Isso está ultrapassando o valor de sua renda mensal? Alerta vermelho, ou você acabará endividado.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Artigo anterior

proxímo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *